A Osteopatia é um sistema de avaliação, diagnóstico e tratamento, que deverá ser seguro e que respeita a anatomia, fisiologia e biomecânica humanas.

Através da história clínica e de testes Osteopáticos, Neurológicos e Ortopédicos específicos (entre outros testes de avaliação), é avaliada e diagnostica a causa da queixa do paciente.

O tratamento Osteopático pode envolver técnicas de tecidos moles, combinadas com mobilizações e manipulações osteoarticulares. O Osteopata analisa todos os aspectos funcionais do paciente e usa técnicas que reconhecem os vários factores que contribuem para o equilíbrio e a saúde. Esta abordagem integrada complementa as funções naturais do organismo, ajudando o paciente a atingir o mais alto nível de êxito e saúde.

Dores lombares e cervicais em estado agudo e crónico, dorsalgias, dores de cabeça (de origem cervical), dores articulares e artríticas, problemas de ombro e cintura escapular, problemas posturais e musculares.

As áreas mais problemáticas que levam as pessoas a visitar um Osteopata são: dores lombares, ciatalgia, dores na cervical, seguido de dores de cabeça, dores nos ombros e na anca. Tal como nos casos de entorses e contusões, entre muitas outras condições.

Como acontece em qualquer exame físico, será convidado a ficar de roupa interior, no sentido do Osteopata poder avaliar todas as estruturas que podem estar a causar a sintomatologia (pés, joelhos, pelvis, coluna, etc) que apresenta. Por esse motivo, sugerimos que use algo que o faça sentir confortável.

Sim. Se desejar pode ter alguém presente em toda a sua consulta e tratamento.

Alguns tratamentos miofasciais (genericamente conhecidos como massagem, mas que na prática não têm o mesmo objectivo terapêutico) podem causar algum desconforto durante o tratamento. Mas o seu Osteopata irá dizer-lhe o que esperar e certificar-se regularmente do que está a sentir enquanto o tratamento decorrer.

Poderá sentir-se um pouco dorido após o tratamento, mas é um sinal que está associado a uma resposta normal e saudável após um tratamento de Osteopatia.

Não é mandatório a consulta com um médico antes de uma consulta de Osteopatia, pois a Osteopatia em Portugal está acessível como um sistema particular e diferenciado, apesar de não estar integrado no SNS.

 

Em casos particulares e após uma avaliação Osteopática rigorosa, podemos sugerir que recorra ao seu médico para que possa aceder a cuidados de saúde que nenhum Osteopata pode e deve executar (como a prescrição de medicação, a realização de atos médicos específicos, etc). Mas esse cenário ocorre em situações pontuais e devidamente assinaladas, onde o osteopata deverá reencaminhar o paciente para a especialidade médica mais adequada.

 

A competência do osteopata termina onde começa a competência de qualquer outro profissinal de saúde. Tal como se deve aplicar o inverso!

O número de tratamentos depende de cada paciente e da sua condição (ex: tipo de queixa, duração dos sintomas, localização das queixas, etc…).

O nosso objetivo é avaliar, diagnosticar a causa da sua queixa e tratar com um número mais reduzido possível de tratamentos.

O seu Osteopata será capaz de dizer-lhe dentro de um curto período de tempo as prespectivas de evolução e o número de tratamentos que deverão/poderão implementar.