A osteopatia preocupa-se com o equilíbrio do corpo e o seu movimento estável.

O objetivo do osteopata é entender onde se encontra a disfunção apresentada pelo bebé ou criança, e qual a razão do seu aparecimento.

À posteriori, o osteopata irá implementar um plano de tratamento onde irá usar exclusivamente as suas mãos (através de uma terapia manual suave), permitindo que o organismo possa superar o seu mau funcionamento.

Os distúrbios mecânicos têm um profundo efeito sobre o funcionamento de todos os sistemas do corpo, onde são importantes não só no caso das dores na coluna vertebral como nos membros.

Em bebés e crianças é particularmente importante ter atenção ao corpo no seu todo, não só para uma intervenção imediata quando existe um quadro de dor, mas também incentivando o corpo para uma saúde a médio e longo prazo, estando o pensamento do osteopata na eliminação de disfunções momentâneas que podem criar desiquilíbrio no futuro.

 

O tratamento em osteopatia

O tratamento osteopático é, por definição, manual. Em pacientes jovens os métodos utilizados são sempre muito suaves, mas ainda assim técnicas poderosas que requerem experiência, habilidade e um conhecimento muito abrangente ao nível da anatomia, fisiologia, neurologia, biomecânica, semiologia, entre muitas outras áreas.

 

Em que situações o osteopata pode ajudar?

Acima de tudo a osteopatia não trata patologias, mas sim pessoas. Querendo isto dizer que uma patologia em 10, 20 ou 30 bebés ou crianças pode ter manifestações muito diferentes, comportamentos diferentes, padrões de disfuncão diferentes e consequentemente técnicas de tratamento necessariamente diferentes.

No entanto , a osteopatia em pediatria pode intervir em muitas das seguintes disfunções/patologias:

–  Alterações na forma do crânio (plagiocefalia e braquicefalia);

– Refluxo, cólicas, obstipação e diarreia;

– Agitação geral e transtornos do sono;

– Otite, sinusite, rinite e asma;

– Escoliose, torcicolo e disfunções na coluna vertebral;

– Perturbações na sucção, dificuldade de concentração e hiperatividade.